MONOPROPILENOGLICOL "GLYFREZIN"

1. O Monopropileno Glicol, é um líquido esbranquiçado, higroscópico, pouco volátil, miscível na água, álcool, fenol, acetona, óleos vegetais e animais, hidrocarbonetos, etc, etc.

Combinado com água e para efeitos de permutas de temperatura,  o produto resulta oxidante, com reação ácida, especialmente agressiva nos  circuitos fechados. Por esta razão poderá aditivar-se  a solução “Água/ Glicol” com um bom Inibidor de Corrosão.

2. É igualmente importante dar a maior atenção às características químicas da água a utilizar na mistura com o Glicol: -  Águas com elevada “dureza” (ricas em cálcio e magnésio) e/ou fortemente mineralizadas, ferruginosas, cloretadas, etc, etc,  – prejudicam gravemente os Sistemas  de troca de Calor;  - pois os sais contidos na água não tratada, alteram os pontos de congelação do fluido circulante e  reduzem as trocas de calor. A deposição destes sais nas  superfícies metálicas, designadamente nos tubulares e nos acessórios de bombagem,  causam  graves problemas de corrosão, incrustação, estrangulamentos e ruturas.

3. Tendo em vista evitar a corrosão e a incrustação e por forma simples obter uma boa manutenção de todas as tubagens e equipamentos, recomenda-se o uso do produto Monopropileno Glicol “Glyfrezin CR”  pureza 99,50 (mínima)   pH neutro e  Inibidor de Corrosão Bayer Preventol .

Notas Técnicas : - Não deverá usar-se este produto quando em contacto direto com bebidas e alimentos.

A quantidade de Glicol a injetar para obter o desejado “ponto de congelação e inibição ” está sempre relacionada com o volume total da água em circulação.

A)    Nem sempre os volumes de água glicolada pré-determinados no projeto inicial, correspondem rigorosamente aos volumes reais da Instalação, já que na maioria das vezes surgem alterações ao projeto inicial.

Por esta razão sugerimos que o circuito seja inicialmente atestado apenas com água bruta e  assim efetuada a circulação; -  esta simples precaução  permitirá igualmente  inspecionar a tubagem, bombas, válvulas, etc. etc e corrigir eventuais anomalias.

B)     Seguidamente deverá ser provisoriamente colocado na “Purga de fundo” do circuito,  um Contador Volumétrico, - cuja função será a de  medir, com precisão, o volume total do Circuito quando se extrair a água bruta usada na  fase de  inspeção dos equipamentos de refrigeração.

Obs: Em tal caso, - por forma simples e pouco onerosa, - serão extraídos do Circuito os resíduos que eventualmente se acumularam no interior das tubagens ; e  também será rigorosamente determinado o seu volume.

 Para fácil e rápida determinação dos Pontos de Congelação da mistura de água/ glicol , deve ser usado um Refratómetro de Congelação.